Matérias

Denis Shapovalov

By 14 de novembro de 2018 No Comments

Denis Shapovalov, atleta da nova geração surge em 2017 com história de redenção, idolatria e amuleto de sorte.

O atleta Canadense que cresceu querendo copiar o ídolo, Roger Federer contou com uma “segunda chance” com virada sobre brasileiro, e que anteriormente sofreu uma desclassificação por conta de acertar bolada em juiz.

O jovem de 17 anos, de nacionalidade Canadense, ficou mundialmente conhecido pela inconsequência de acertar uma bolada em um juiz, tornando-se assim protagonista de uma história de “redenção”. O fato foi que o atleta causou uma fratura no rosto do árbitro francês Arnaud Gambas e com isso passou a  impressionar pelo estrago que seus golpes podiam causar aos demais adversários.

O garoto que antes pertencia ao número 143 do mundo e que pela frente iria enfrentar o adversário Rogério Dutra Silva, esse brasileiro 152º da ATP, então vinha por dar a sua volta por cima no torneio Masters 1000 de Toronto. Assim, participando de uma partida com quatro match points onde, salvará todos eles, acabou sendo premiado com uma vitória de virada.

Então, o garoto que antes fora condenado por um fato ocorrido, volta as quadras em grande estilo em 2017. Shapovalok, se sentiu como se tivesse ganhado uma segunda chance, uma segunda vida depois daquele jogo porque estava muito perto de perder. Depois aumentou seu nível e começou a jogar bem, tendo duas boas vitórias. Elevou ainda mais a sua confiança, em seu primeiro ano como profissional, causando um  impacto ainda maior no universo do tênis, ao derrubar em sequência o argentino Juan Martin del Potro e o espanhol Rafael Nadal, números 31 e 2 do mundo na época, respectivamente.

Foi ao final de 2017 que ele subiu quase 200 posições, de 250º para 51º colocado no ranking da ATP. A ascensão rendeu o prêmio da ATP na categoria de “Jogador que mais evoluiu”. Isso fez muita diferença para o jovem que conseguira reverter a imagem do garoto que inconsequentemente poderia ter cegado um árbitro e vinha virar uma das maiores promessas da nova geração.

Em entrevista ele revelou que está tentando trabalhar os pontos e jogar ralis mais longos e que isso faz parte da sua personalidade, que é tentar ir para as bolas vencedoras e ainda conta que, quando alguém não o está pressionando, tem que construir o ponto para ter uma melhor chance de fazer a jogada. Acho que é um bom problema para se ter, é o oposto da maioria dos jogadores (novos), segundo ele os mais novos têm muito medo de ir para dentro nos grandes pontos e ele vai bastante além.

Com seus apenas 19 anos e com uma carreira extensa pela frente, Shapovalov tem muitos sonhos e sonha grande. Esses sonhos vão além de troféus e rankings, ele quer ser uma referência para as crianças e mostrar para os pequeninos que seu país que há outra modalidade de esporte, além do hóquei do gelo.

“Minha meta é elevar o nível do tênis canadense, ter mais crianças pegando uma raquete ao invés de um taco de hóquei. Acho que eu definitivamente ajudo nisso e espero que consiga continuar fazendo”, revelou ao Portal Globo Esporte.

 

Fernando Verdasca Jr.
Jornalista

Fonte: Abbie Parr/Getty Images

Leave a Reply