Monthly Archives

agosto 2018

Qual é o papel do nutricionista?

By | Matérias | No Comments

No dia do nutricionista gostaria de falar sobre a nutrição nos dias de hoje em diferentes abordagens.

Muito se ouve falar sobre nutrição e estética, barriga sarada, perda de gordura e emagrecimento com dietas da moda. É importante lembrar que o principal foco da nutrição não é a estética, mas a saúde. A primeira pode vir como consequência da segunda. Há também a nutrição esportiva que visa a melhora da performance do atleta ou praticante de atividade física, e é realizada por meio de estratégias e suplementação nutricionais.

Por outro lado, a nutrição atual também busca conhecer e resgatar a boa relação com os alimentos. E essa relação vai além do ponto de vista nutricional, do olhar para os nutrientes benéficos ou maléficos a saúde. Envolve além da saúde, aspectos culturais, sociais, comportamentais e éticos.

A alimentação saudável que evita a ocorrência de doenças crônicas é baseada principalmente na qualidade das escolhas de alimentos, priorizando o consumo de alimentos in natura ou minimamente processados em detrimento dos alimentos ultraprocessados, além de um olhar atento para a variedade e quantidades ingeridas.

Contudo, faz parte da alimentação saudável participação em eventos festivos e prazerosos em volta de uma mesa farta com várias opções de comidas gostosas, e isso pode incluir o consumo de alimentos calóricos como os doces. Quem nunca se sentiu bem ao comer aquele doce que lembra uma pessoa querida ou preparado por alguém especial? Isso é saudável nesse contexto, em que o alimento remete a um sentimento e traz um bem-estar que nem sempre é nutricional, mas emocional. O nutricionista atento deve escutar sobre a cultura, gostos e preferências para ajustar um planejamento alimentar que fará sentido para o paciente. Isso é realizado com atendimento personalizado em que será elaborada uma estratégia individualizada para cada caso.

Outra abordagem que costumo chamar de nutrição de vanguarda é aquela que traz uma preocupação social e ética para com a alimentação; que se preocupa com o sistema alimentar como um todo, desde a produção do alimento, envolvendo aspectos de produção sustentável e preservação do meio ambiente, o comércio justo que remunera bem os produtores e incentiva o fortalecimento da agricultura familiar e do comércio local, e a preocupação com o bem-estar dos animais. O nutricionista deve conhecer sobre os sistemas de produção de alimentos e alinhar a conduta com esse questionamento, bem como orientar as pessoas que buscam uma alimentação responsável. Nesse sentido encontram-se os adeptos das dietas vegetarianas e veganas. O nutricionista irá auxiliar na elaboração desses tipos de dieta para contemplar esses valores éticos sem que haja deficiências nutricionais e comprometimento da saúde.

Portanto, a nutrição vai além das dietas com finalidade específicas e da contagem de calorias ou nutrientes. Comer promove saúde, bem-estar, conforto e também é um ato responsável e político. O nutricionista é o profissional que irá alinhar a ciência da nutrição com moral e ética em favor da saúde e bem-estar das pessoas.

 

Carolina Yumi C. Yoshikawa (Instragram: @nutri.carolyumi)
Nutricionista pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP
Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo  – USP
CRN3 – 54241 P

As oportunidades que o Tênis oferece

By | Matérias | No Comments

Como conquistar Bolsa de estudo em Universidade Americana

Que o tênis é um esporte que traz vários beneficios para a saúde muita gente já sabe, além de proporcionar para o praticante várias outras possibilidades. Alguns praticam apenas pelo fato de terem uma admiração pelo esporte, outros desejam um pouco mais do que apenas jogar pela paixão, querem se profissionalizar, ganhar títulos e até mesmo conquistar bolsa de estudo e ter a oportunidade de poder estudar no exterior.

Sim, o tênis a partir da sua prática, pode proporcionar estudo de qualidade no exterior, principalmente em universidades Americanas.  Isso inclui participar de organizações, aprender com ótimos professores, conhecer pesssoas do mundo inteiro e poder fazer parte dos melhores times esportivos. Para muitos pais, o estudo em universidade americana representa a possibilidade de um futuro  de grande sucesso para os filhos.

O que acontece muitas vezes é que o custo do estudo em outro país é bastante elevado, mas para jovens tenistas esse custo pode reduzir muito, inclusive para alguns pode chegar até 100% de bolsa. Nesse caso, o desempenho do aluno faz toda a diferença, o seu nível de jogo principalmente,  na hora de concorrer à uma vaga  nessas universidades, além do conhecimento da lingua Inglesa, a vivência no tênis, é além de tudo um grande diferencial.

Vale ressaltar que a importância do conhecimento da lingua e ter realizado o exame SAT (Scholastic Assessment Test), que funciona como um exame padrão, com critérios que servem como uma porta de entrada para as universidades americanas, a nota máxima no SAT é de 2.400 pontos. Para os atletas, esse limite cai para 1.600. Para esse grupo, a nota da redação (que vale 800 pontos) não é considerada. Assim, uma ótima nota para um aluno-esportista seria entre 1.000 e 1.200 pontos (em um máximo de 1.600).Existem dois tipos de exames. O  SAT 1, é composto por três provas: inglês, matemática e redação. O SAT 2 (ou “subjects”) é específico, com provas em 18 matérias. Em geral, os esportistas só precisam fazer o SAT 1.

O ideal é que o candidato dispute, aos 17 anos, entre 35 e 40 jogos competitivos por ano. Os treinadores dedicados aos estudantes universitários, nessas universidades americanas, querem ter jogadores que possam ser expostos a uma certa carga de esforço. O normal é que no circuito de tênis, um profissional joga até 70 partidas em um ano.

As graduações mais populares entre os atletas brasileiros estão relacionadas à área de negócios: administração, finanças, contabilidade, marketing, comércio exterior e  também a área da educação física. Outra opção é  pela engenharia que vem crescendo a cada ano, mas ainda é menor  do que a procura pelas outras.

O preço nas faculdades que aceitam atletas oscila entre US$ 25 mil e US$ 50 mil por ano, dependendo da universidade. As mais tradicionais são as mais caras. Com a conquista da bolsa de estudos, o valor das anuidades pode ser reduzido de US$ 15 mil e US$ 25 mil, e isso ainda pode incluir a moradia, as aulas, os equipamentos esportivos, as viagens para disputar os torneios, a preparação física e a alimentação na faculdade. Vale lembrar, que isso vai de cada caso.

Jogo Exibição

By | Eventos, Jogo de Exibição | No Comments

No sábado, dia 25/08, a academia Limão Tênis, reuniu alunos e amigos para mais um jogo de exibição, representado nesta edição pelos professores Emerson Catib, Givanildo Menezes, Sergio Figueroa e Antonio Silva.

O jogo de sábado foi vencido pelos professores Emerson Catib e Givanildo Menezes por 7/6 e 6/4 em uma disputa com ótimos lances e participação de uma torcida muito animada.

Confira as fotos

A importância da prática esportiva na infância

By | Matérias | No Comments

A importância da prática esportiva para o desenvolvimento na infância

Facilitando o aprendizado dos conceitos básicos da vida, o esporte é uma ferramenta muito importante, trazendo ensinamentos de como compartilhar experiências entre colegas e professores, ter paciência e saber esperar a vez, incentivar e reconhecer o sucesso de uma equipe, entre outras atitudes.

Já em relação ao desenvolvimento corporal, o esporte é fundamental no desenvolvimento motor correto, entre as fazes da infância, nesse período é aonde as habilidades motoras básicas são desenvolvidas e irão servir para uma progressão ainda maior de habilidades futuras.

Para as  crianças de até 10 anos de idade, as atividades  devem ter como foco o desenvolvimento das habilidades motoras básicas, como correr, saltar e chutar. A partir dos 11 anos, com a chegada da adolescência, é recomendado o desenvolvimento progressivo de habilidades especializadas ou habilidades específicas de cada uma das práticas esportivas.

As aulas de Tênis para os pequenos, foi ganhando  um grande espaço como opção para os pais, pois é excelente para o desenvolvimento da coordenação mão-olho, do controle motor grosso (através da movimentação em quadra e das rebatidas), do controle motor fino (jogadas precisas, voleios e curtinhas), equilíbrio e concentração que ajuda o processo da construção da aceleração, velocidade, força dos membros inferiores e até mesmo da flexibilidade. Vale lembrar que além de todos esses benefícios, esse esporte promove ganho de massa e densidade óssea, trazendo fortalecimento,  principalmente para o sistema imunológico. Nesse tipo de atividade, o tênis trabalha bastante na parte psicológica, crianças que praticam desenvolvem habilidades e estratégias que também irão beneficiá-las na vida.

No esporte voltado para educação infantil, a intensidade e a frequência devem respeitar o interesse e o grau de motivação. Os pais e familiares nunca devem pressionar por resultados, mas também não podem desmotivar aquelas que buscam mais. Cada professor e treinador deve  respeitar os limites, os interesses e a individualidade  de cada um. Para os pais que querem demonstrar esse incentivo através do esporte, não é preciso ser um atleta, mas é importante sinalizar esse  interesse com atividades lúdicas, esportivas ou ao ar livre, onde o suor, a sujeira e os joelhos ralados muitas vezes fazem parte do pacote. Afinal, é da Família que as crianças tiram seus maiores exemplos.

 

Fernando Verdasca Jr.
Jornalista

Fernando Meligeni

By | Notícias | No Comments

Comprometimento, profissionalismo e intensidade são três palavras que representam sua vivencia nas quadras durante sua carreira e ficam para o resto da sua vida

 

Em uma recente postagem feita em sua rede social – Linkedin, o argentino Fernando Meligeni, também conhecido como Fininho, revelou a importância para sí de realizar um treino com o ex-tenista  André Agassi, que nessa época era um grande atleta das quadras. Segundo Meligeni, a espectativa foi grande, era seu primeiro treino com Agassi, preparando na sua mente um roteiro de como tudo ia ser, quanto tempo antes iria chegar na quadra, o que diria, como treinaria, mesmo sabendo que aquela  era uma chance de ouro,  se ele fizesse um bom treino e ele gostasse, teria outros treinos pela frente. Então chegou  20 minutos antes e ficou esperando. 5 minutos, 10 minutos e nada de Agassi chegar. Minutos antes da hora combinada,  chega um jogador intenso, ofegante e como se já treinasse há horas. Olhando em seus olhos, disse: você está pronto?

Para Meligeni o início foi tenso. Agassi intenso e assertivo, ele nervoso e errático. Segundo ele mesmo levou uma das mais duras lições dentro da quadra, quando ele disse: “isso é o que você tem pra mim hoje?”  Era um: “você pode mais garotão”.

O argentino acabara de virar top 100, estava ali frente a frente com o Agassi e tinha sim, entendido o recado. Ele mostrou que uma hora de treino tem que ser aproveitada sem desculpas, sem descanso, focado.

Para Meligeni, de tudo o que vivenciou em sua carreira nas quadras, ficaram três palavras para toda a sua vida: comprometimento, profissionalismo e intensidade. Porque naquele mesmo dia, ao final do treino, Agassi disse para ele: “você vai voar no dia que entender que um simples treino ou um grande jogo tem a mesma importância”.

Meligeni carrega uma enorme gratidão por André Agassi, hoje considerado um excelente treinador.

US Open 2018

By | Notícias | No Comments

Em Nova York, a 51 edição acontece entre os dias 27 de agosto à 9 de Setembro

Em sua 51ª edição da era aberta, o US Open, considerado o último dos 4 Grand Slams do ano, reúne em Nova York, a partir de 27 de agosto, os melhores tenistas, em busca do maior prêmio em dinheiro do circuito.

O evento acontece no Arthur Ashe Stadium, que conta com uma nova estrutura, a partir de um teto retrátil que permitirá a continuidade dos jogos independente da questão climática.

O torneio reúne os melhores da modalidade para uma disputa do título americano que é considerado um dos principais do circuito mundial da ATP – Associação de Tenistas Profissionais. Centenas de jogos são realizados dentro do mesmo evento com partidas de simples nas categorias feminina e masculina, partidas de duplas nas categorias feminina, masculina e mista, além das categorias adicionais para seniores, juniores e cadeirantes.

Todas as partidas realizadas são eliminatórias. O sorteio das chaves é realizado apenas dias antes do evento e até mesmo depois dos primeiros jogos, com a classificação dos jogadores.

Outra mudança importante está no método para definir cabeças de chave. Nesse ano, o objetivo principal é permitir que jogadoras que tiveram que optar por uma pausa na carreira por conta de gravidez, casos por exemplo das ex-líderes do ranking Serena Williams e Victoria Azarenka, possam permanecer entre as favoritas.

Segundo a organização do evento, já foram confirmados 102 homens e 101 mulheres.

Assista o US Open e acompanhe as postagens atualizadas, aqui em nosso Blog.

Após votação, ITF confirma mudanças na Copa Davis

By | Notícias | No Comments

A ideia de mudança começou a ganhar força neste ano, mas foi apenas nesta quinta-feira que foi decidida uma mudança radical na estrutura da Copa Davis. Após votação na assembleia da ITF, organização que comanda o torneio, foi decidido que o principal torneio entre nações do tênis terá novo formato e o investimento de 20 milhões de dólares (aproximadamente R$ 80 milhões) do Grupo Kosmos, comandado pelo jogador do Barcelona Gerard Piqué.

As mudanças acontecerão já na próxima temporada, sendo que o torneio não será mais disputado anualmente, mas sim em um período de uma semana em local único. A vitória na votação faz com que o presidente David Haggerty saia mais fortalecido da reunião, superando alguns opositores, como era o caso da federação australiana, que queria que a competição não tivesse as alterações propostas.

Dentre as principais mudanças estão: Todas as partidas de simples, em qualquer nível da competição serão em melhor de três sets e com tiebreak, enquanto que nas duplas será adotado o padrão da ATP, com melhor de três, sendo o terceiro set um match-tiebreak; Criação de uma fase final anual da Copa Davis na Europa, onde serão coroados os campeões mundiais da temporada e a fase final do torneio tendo 18 equipes, com 12 equipes definidas através de qualificação, mais os quatro semifinalistas do ano anterior e dois países convidados. Após isso serão divididos em seis grupos de três nações cada.

Desde o surgimento do torneio, 15 países tiveram o prestígio de levantar a taça de campeões da Copa Davis, sendo que apenas um deles é da América do Sul. Na temporada de 2016, a Argentina, liderada pelo excelente Juan Martin Del Potro, que retornava após lesões sérias no pulso, fez história ao ser a primeira equipe sul-americana a ganhar e por ter vencido todos seus adversários do Grupo Mundial (Polônia, Itália, Grã-Bretanha e Croácia) em confrontos fora de casa.

Já nesta temporada, em que a Copa Davis terá a última edição com este formato, a atual campeã França jogará contra a Espanha uma das semifinais, enquanto que Croácia e Estados Unidos brigam pela a outra vaga para a decisão do torneio.

Confira as outras mudanças da Copa Davis após a votação desta quinta-feira: 

–  Todos os confrontos da fase final consistem em dois jogos de simples e um de duplas, todos jogados em um dia. Já os confrontos no classificatório e nos Grupos de Zona I e II consistem em quatro partidas individuais e uma partida em duplas, jogadas em dois dias

– Os seis vencedores dos grupos da Copa Davis, além das duas melhores equipes que terminarem em segundo, baseados nos sets vencidos e nos jogos vencidos, irão se classificar para as quartas de final

– As equipes colocadas em 17º e 18º serão imediatamente relegadas aos Zonais, enquanto as 12 equipes colocadas de 16 a 5 participarão do evento classificatório do ano seguinte

– Criação de um novo evento qualificatório, no qual 24 nações disputarão em fevereiro, jogos dentro e fora de casa com as equipes vencedoras chegando às finais e as nações perdedoras indo para o Zonal

Fonte:  GazetaEsportiva

Novak Djokovic

By | Notícias | No Comments

Novak Djokovic: De uma infância em meio aos conflitos da Guerra, das dificuldades e restrições por conta da saúde, o atleta têm a superação, como um motivo determinante para o momento atual da sua carreira

A vida do tenista Novak Djokovic é um verdadeiro exemplo inspirador para os praticantes e amantes de esportes em geral e do próprio tênis. Nascido na sérvia, Djoko, como é carinhosamente chamado por seus fãs, construiu parte da sua história e trajetória, superando obstáculos, com muita força de vontade. Ainda adolescente, teve a oportunidade de treinar com Nici Pilic, na Alemanha, que naquela época foi um grande tenista, nos tempos da “cortina de ferro”.

Mesmo vivendo uma infância em meio a bombas e a guerra, a mente de Djokovic foi fortalecida. Na antiga Iugoslávia, o tenista teve que lidar desde cedo com uma pressão incomum. Correr para os abrigos antibombas e ouvir explosões era algo comum para ele. Em uma de suas festas de aniversário, o barulho dessas explosões, se confundiam com o famoso “Parabéns para você…”.

Segundo entrevista dada ao jornal The New York Times, as circunstâncias que não eram nada comuns, moldaram seu caráter e sua personalidade, as lembranças desse período, dão força extra e ele acaba usando em situações difíceis. Essas situações ajudaram o tenista a aumentar sua força mental, ele se sente muito mais forte.

Enquanto bombas explodiam, Djoko jogava tênis em qualquer canto da casa e fazia seus treinos em espaços improvisados, em piscinas vazias, por exemplo. Aos 12 anos, foi em busca de seu maior sonho. Ele tinha apenas 40 minutos de treinamento com o competente treinador. Por iniciativa própria, sem orientação de ninguém, ele chegava muito antes do horário marcado para a sua aula, então fazia um aquecimento, assim entraria na quadra, já pronto para aproveitar os ensinamentos desde o início. Então, para não perder nenhum minuto, mesmo antes de iniciar a aula, ele corria o mais rápido, para pegar as bolinhas e devolvê-las para Pilic.

Por conta das intolerâncias alimentares, Djokovic mudou a sua dieta. Seu corpo não processava de forma correta o consumo do trigo. Mesmo amando e desejando os pães e as massas, especialmente as pizzas que eram feitas no restaurante da família. Não consumindo o Glúten (proteína composta no trigo), o atleta foi se sentindo melhor, adquirindo a leveza que ele precisava, também percebeu que seu raciocínio ficava mais rápido.

Já nos últimos anos, Novak Djokovic, passou por uma lesão no cotovelo, o que fez abandonar a competição no Grand Slam inglês, nas quartas de final. A partir dali, ele anunciara uma cirurgia que o deixaria meses afastado. A recuperação foi complicada, seis meses, onde nesse tempo,  ele teve até mesmo algumas recaídas. Em janeiro desse ano, ele voltou a competir, no Australian Open, porém mostrou um nível abaixo do seu tradicional, perdendo diversas partidas, para atletas acima do top 50.

O próprio, cogitou uma aposentadoria no começo do ano. Djokovic, foi uma situação que quase se tornou realidade, depois de perder em Miami ele conversou com sua equipe e comentou que não saberia se poderia continuar jogando. O atleta não desistiu, e até mesmo colecionando resultados frustrantes durante seis meses desde seu retorno, até a sua redenção,  em Wimbledon ele venceu grandes duelos, como exemplos, os jogos contra o argentino Horacio Zeballos, o britânico Kyle Edmund (uma das surpresas da temporada), o japonês Kei Nishikori, e contra o espanhol Rafael Nadal, considerado o número 1 da atualidade. O confronto contra Nadal, que é considerado o’’ touro do tênis ‘’, já na semifinal, que para muitos era a final antecipada, foi resolvido no detalhe, por 3 sets a 2 (6/4, 3/6, 7/6, 3/6 e 10/8) e foi o ponto determinante para seu renascimento.

Para Djokovic, enquanto existir esta chama da paixão e do amor, permanecerá dedicado, ele considera de extraordinária importância o apoio das pessoas mais próximas , pois sem elas não conseguiria nada disso, e tudo seria muito mais difícil. Djokovic se mostra como um gênio dentro e fora das quadras, reforçando o seu status com a volta por cima. O que para os apaixonados por esse esporte, acaba sendo mais um motivo para continuar torcendo.

 

Fernando Verdasca Jr.
Jornalista